[TRADUÇÃO] Como Escrever Personagens Secundários Realistas

Esta publicação é uma tradução do original em inglês pela escritora Lorraine Ambers disponível em

How to Write Compelling Secondary Characters

Para saber mais sobre meu serviço de revisão e tradução, acesse

https://lucaspalhao.wordpress.com/2017/06/29/servico-de-revisao-e-traducao-de-textos-e-consultoria-para-escrita/


Essa semana eu recebi um comentário sobre personagens secundários e, mais especificamente, quantos personagens deveriam dar suporte ao seu protagonista. Na verdade, cada história é única. Game of Thrones, notoriamente, tem um vasto elenco de personagens, enquanto The Martian foca apenas no apuro do protagonista durante a maior parte da história.

Uma vez que a trama tem a chave para tal questão, uma pergunta melhor a se considerar deveria ser como criar o contexto para as batalhas do personagem principal. Quais circunstâncias internas ou externas, personagens ou ambientes vão servir e/ou contrariar o meu protagonista? Como você pode ajudar a desenvolver o arco de história do seu protagonista?

Personagens secundários podem criar propósitos poderosos nas nossas histórias. Eles podem ajudar a avançar a trama de formas que o protagonista não pode. Eles criam conflito que impedem o avanço da jornada do protagonista. Eles podem ajudar a aprofundar o tema através de diálogos, história anterior e ações enquanto ajudam a revelar elementos da criação do mundo através de seu ponto de vista.

Aqui vai um guia dos tipos de personagens que podem acompanhar o protagonista em sua jornada.

O ajudante — Esse personagem também pode ser amigo do protagonista ou um membro da família. Enquanto acompanha o herói em sua busca, ele pode atrasar, criar conflito, se tornar confidente e, mais importante, acrescentar um elemento de comédia ou surpresa, assim como Ron Weasley em Harry Potter.

The Magicians - Margo Meme
Você fez muitos amigos, hein?

O amigo — A companhia estimulante que está sempre disponível para emprestar um ombro amigo. Eles ajudam o herói a perceber seu próprio caminho ao estarem lá após conflitos para darem força para continuar. Hagrid do Harry Potter é um ótimo exemplo.

O mentor — A alma sábia que dá conselhos e indica pistas vitais enquanto oferece treinamento e experiência para o jovem aprendiz. Lembre-se apenas de não deixar a história fácil demais. Seu mentor deve levar o protagonista às respostas sem contar a ele como resolver os problemas.

O interesse romântico — Crie romance e tensão em uma história acrescentando um elemento romântico. Ele agita o conflito interno, levando seu protagonista a explorar novas emoções. Você pode aumentar os riscos ao forçar seu protagonista a sacrificar algo para salvar seu interesse romântico. Ou, se romance não for chave para a sua trama, talvez o amor do protagonista seja meramente uma forma de completar seu personagem; uma forma de introduzir sua história prévia e revelar outro lado de sua personalidade.

The Magicians - Alice Meme
Do que eu sou capaz?

O curandeiro — Quando seu personagem se machuca ou enfrenta um período de recuperação, precisará de alguém que o ajude. Esse tipo de personagem ajuda o protagonista a se recuperar e se fortalecer antes de seguir com a jornada. Esse personagem flexível vai acrescentar uma nova dimensão à história enquanto seu protagonista luta para superar seu ferimento ou doença.

O arauto — Esse personagem vai colocar o protagonista em ação, fazendo-o iniciar sua jornada. Ele dá instruções no início, como Gandalf que prepara Bilbo Bolseiro em O Hobbit. Com frequência, o protagonista o ignora, se rebela ou simplesmente resiste ao chamado até que é forçado a agir.

The Magicians High king and Queen meme

O antagonista — Diferente de todos os personagens influenciadores, o propósito dos antagonistas é criar conflito para impedir que o protagonista atinja seus objetivos, mantendo-se um passo a frente até o clímax da história. Sua finalidade é fazer o personagem crescer, melhorar, atingir um ponto onde ele pode derrotar ou superar o antagonista. Ele pode tomar a forma de bullies, do chefe irritado, do assassino que o protagonista está tentando encontrar ou da rainha maluca por poder que precisa ser destronada.

A família — Famílias vêm em todas as formas. Algumas servem de apoio e outras são abusivas. Dentro de cada família a dinâmica varia de acordo com os tipos de personagens envolvidos. Você pode encontrar o arauto, o amigo, o ajudante, o antagonista e um interesse romântico, todos dentro de uma só família. Nós vemos tais interações dinâmicas nos Jogos Vorazes quando Katniss se sacrifica para salvar sua irmã.

Author Lorraine Ambers - fantasy romance writer

Divirta-se, use a criatividade e brinque com esses personagens de apoio como uma forma de criar conflito, obstáculos, tensão, apoio e estabilidade.

Conte-me: quantos personagens tem seu trabalho em curso? E, além do seu protagonista, quem é seu favorito e por quê? Não seja tímido! Compartilhe suas ideias. Você sabe que adoro ouvir de você.

Obrigada pela visita. Até a próxima! Muito amor.

Pinterest    Instagram    Twitter    Facebook

© Author Lorraine Ambers and http://www.lorraineambers.com, 2019.

Comentário do tradutor:

Acho que nunca havia procurado essa lista de tipos de personagens secundários antes.

Creio que usando um de cada (depois de muita prática, claro) haja personagens suficientes para deixar uma história bem interessante!

Espero que este artigo seja bem útil para escritores e curiosos!

2 comentários sobre “[TRADUÇÃO] Como Escrever Personagens Secundários Realistas

  1. Lucas, tem outras possibilidades. Um exemplo é O Romance Histórico, György Lukács. Ele discute a questão do herói. Em Walter Scott, Ivanhoé, o herói é construído num panorama histórico, quase como um detalhe. Ivanhoé, por ex., só aparece na página 136, se não me engano. Posteriormente, o herói se transformou no indivíduo, centro, e tudo gira em torno dele, e as personagens secundárias em sua função. Gosto mais desse espírito coletivo, do panorama. Claro, o indivíduo também é uma grande construção. A questão é que cria um distanciamento entre nós, reles mortais, e o grande herói, o pai, o salvador… Não sei se expliquei bem…

    Curtido por 1 pessoa

    1. Acho que entendi.

      Pelo menos na minha pouca experiência, eu imagino que o ideal seja criar um herói bem comum, com o qual os leitores possam se identificar.

      Acredito, sim, que criar um herói todo perfeito e virtuoso cause esse distanciamento. Portanto, devemos evitar esse efeito ou ninguém será capaz de se relacionar com a história.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.