Japanese High School Classroom

Manifesto de um Professor (Quase) Desiludido – Final

Se você perdeu o início do manifesto, veja a primeira parte no link a seguir

https://lucaspalhao.wordpress.com/2015/08/20/manifesto-de-um-professor-quase-desiludido-parte-1/

O professor é alguém que dedica sua vida a aprender uma matéria (ou várias) e ensiná-la(s). Não importa quantos anos de experiência tenha, nunca saberá tudo. Além disso, a maioria das disciplinas muda com o passar do tempo. Assim, todo professor deveria se manter atualizado, de cabeça aberta e humilde.

Turmas de alunos têm representantes dos bagunceiros, dos comportados e muitos outros entre esses extremos. Assim, grande é o desafio do professor para manter o controle sem prejudicar o aprendizado. É um verdadeiro teste de paciência, que pode culminar em explosões dos docentes. Nesses momentos de estresse, justos pagam por injustos, desmotivando os primeiros. Para tornar tudo mais fácil, todo professor deveria ter o apoio da escola para lidar tanto com os alunos difíceis quanto com suas próprias frustrações.

Levar o conhecimento aos alunos é o principal papel dos professores. Entretanto, nem todos eles estão cientes disso. Para esses, tentar manter a turma sob controle e obedecer ao livro didático é suficiente. Trocar ideias e experiências com colegas? Um pecado mortal. Sem compartilhar e fazendo o mínimo necessário, talvez seja possível manter o emprego mas, não, educar. Todo professor deveria compartilhar seu conhecimento, ideias e experiências com colegas e alunos.

Ao invés de conduzir apenas os seus próprios alunos ao conhecimento, a tecnologia permite fazer mais. Entretanto, como nem todos têm acesso a ela, é melhor ser cauteloso para não excluir ou ofender. Atualmente, canais do YouTube são os mais populares entre as ferramentas tecnológicas. Outros exemplos são blogs, aplicativos para compartilhamento de documentos e, até mesmo, as redes sociais. Além disso, para quem não tem acesso, apostilas, trabalhos e livros podem ser disponibilizados em bibliotecas públicas e, ainda, aulas voluntárias podem ser organizadas. Qualquer que seja o meio, trabalho extra será necessário e encaixá-lo entre as obrigações não é fácil. Ainda assim, todo professor deveria ter uma plataforma (tecnológica ou não) para atingir o maior número possível de interessados no saber.

A correria do dia de trabalho e os alunos dificultadores podem tirar o brilho da vida de um educador. Nesse caso, sem ânimo, como continuar canalizando o amor para o trabalho mais nobre? Em face da desistência, o professor tem que se lembrar da alegria no olhar do aluno quando compreende algo. Isso motiva todo professor a continuar sendo criativo e inspirador.

Anúncios

11 comentários sobre “Manifesto de um Professor (Quase) Desiludido – Final

  1. É a profissão mais importante.
    Qualquer governo que queira fazer um país crescer de verdade investe na educação e nos professores.
    Acho um absurdo a forma como o Brasil, os estados, os municípios, como todos tratam os professores.
    É uma situação que me deixa bastante triste.

    Gostei muito do seu texto!

    Curtido por 2 pessoas

  2. Caro Palhão… Parabéns por mais um texto. Um tema que sempre vou me debruçar para pesquisar, ler e sempre tentar não perder a fé.

    Vivemos sim um momento bastante turbulento, consigo enxergar os choques de valores, de crenças e outras coisas mais.

    Tenho uma filha no Ensino Fundamental 2, e tenho ido uma vez na semana acompanhar o desenvolvimento da sala e do aprendizado dela. Tenho observado várias coisas. A primeira vez que fui tive uma vontade enorme de chorar ao me deparar com aquele ambiente tão propício para uma aprendizagem e tão pouco aproveitado.

    Fiquei observando aqueles adolescentes, 12 e 13 anos. Uns 5 ou 6 só totalmente dispersos e bagunceiros. Parecem que precisam daquilo para conseguir se sentir alguém. Umas poucas meninas – Céus, só sabem ficar tirando selfie – fiquei olhando pra elas com um olhar acolhedor e pensando: ” Será que não tem ninguém que as ama para dizer para elas que as caretas e fotos que tiram dizem muito mais coisas ruins sobre elas do que elas querem dizer?

    Também observei os professores. Céus, peço a Deus que me leve se um dia eu chegar em uma sala de aula e não dar um “Bom dia” caloroso aos meus alunos. Posso eu ser rude ou ignorar todos por causa de uns poucos? Tem culpa os alunos se escolhi uma profissão que não são flores?

    Vi, professores que não sabiam o que iriam dar de aula. Outro, apresentou uns slides e parecia que sabia menos que eu sobre o assunto. E isso sem falar na professora que não fala, passa texto e três perguntas e depois carimba caderno. Impossível cativar atenção de alguém dessa maneira.

    Acredito que ninguém escolhe o caminho que vai seguir por imposição de alguém nos dias de hoje. Eu escolhi conscientemente o que quero fazer. O dia que não estiver mais dando o meu melhor vou vender cachorro quente ou qualquer outra coisa.

    Falam de falta de recursos, de falta de tecnologia e tal… Mas, gente quando você sabe sobre o que vai falar, fala com tanta paixão que contagia as pessoas. Lembro como se fosse hoje tive um professor de história que na sala ninguém queria nem respirar para não perder uma só palavra do que ele dizia. Dominar o que sabe, entender sobre o assunto, se preparar, etc… Isso não é saber tudo. É apenas saber usar o discurso ao seu favor, é conseguir comunicar, conseguir transformar uma informação em algo interessante e num conhecimento que pode abrir caminhos para outros tipos de curiosidades, é saber ouvir e entender o jeito que as crianças fazem suas perguntas… eles estão aprendendo a se expressar. Infelizmente poucos sabem ler fluentemente. FATO.

    Bom, eu falaria a noite inteira… Sou professora e pra mim também é um desafio sempre. Mas, eu nunca desisto daquilo que acredito. E todos os dias tenho aprendido coisas maravilhosas ao ensinar e preparar aulas. Tenho revistos muitas coisas, tenho descoberto que sou capaz de muito mais do que eu imaginava.

    Ser professor não é um cargo é uma missão.

    Curtido por 2 pessoas

    1. Lyanne, parabéns pelo sua dedicação como professora.

      Só você, e profissionais iguais a você, podem mudar esse país.
      Espero poder ajudar a evidenciar a situação ruim que os educadores enfrentam e, também, sugerir estratégias para melhorar.

      Obrigado por não desistir!

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s