Como e por que escrever um apêndice

Um trabalho científico deve ser autocontido, ou seja, deve abranger todos os conceitos necessários para seu entendimento. Entretanto, existe mais de um nível de entendimento e pessoas de diferentes áreas e níveis de conhecimento podem estar interessadas em aspectos diversos da sua obra. Dessa forma, para evitar que a leitura fique tediosa para alguém que já tenha a base na área sobre a qual você escreve, faz sentido mover explicações básicas para um apêndice, referenciando-as no texto. Por exemplo, se é necessário explicar como são calculadas médias probabilísticas de uma variável aleatória antes de utilizar esse cálculo no seu trabalho, faça um apêndice de revisão de probabilidade, contendo os conceitos já dominados por alguém que possua conhecimento na área. Assim, o texto continuará sendo autocontido para os menos experientes, que poderão consultar os apêndices necessários.

Na área de exatas, provas de teoremas, código fonte, deduções matemáticas e reapresentação de conceitos básicos são comuns. Evite posicionar esses itens que “perturbam” o fluxo do texto nas seções principais.

Para finalizar, atente para a diferença entre anexo e apêndice: apesar de possuirem a mesma função, um apêndice deve ser de autoria própria, enquanto o anexo pode ser retirado de outra fonte.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s